segunda-feira, 30 de maio de 2011

Meu...

Gosto musical é afetado. Meus desenhos são monstruosos, minha cara é duvidosa. Sou esotérica e instintiva.
Dei thau pra mim, e falei adeus aos meus valores (e meus amores). Me concentro agora em fazer isso, fazer, fazer, fazer. E tentei cantar o que estava sentindo, foi desastroso, percebi que meu dom talvez seja outro. Eu queria saber cantar. Me senti triste. Como se sentiria Édith Piaf sem seu único amor, me senti desta forma talvez. Ou como Baryshnikov sem dançar, seria penoso.
Meu senso de humor é bem excêntrico, às vezes incompreendido.  Eu só sei que meu sentido de viver, minha força vital, minha moral está em mim, e não vou mais fazer esforço pra tentar explicar. Me sinto cansada, pesada, detestável às vezes. Quando tento mudar, minhas raízes me sugam de volta.
Talvez eu deva esfriar a cabeça e ouvir meus discos da Billie Holiday, se eu tivesse algum, claro. Estão o que me resta? Resta, vou ouvir Ana Carolina: Resta.