quarta-feira, 8 de junho de 2011

Tocar

Com a alma e com as mãos. Por os dedos. Os coração. Sentir a respiração, a tensão. Saudade de mim em outros tempos, no tempo em que eu tinha coragem de dizer. No tempo em que as coisas eram mais simples e eu não desejava todo esse carnaval. Eu pensava, quando criança, que um dia minha vida seria simples e desenrolada. Eu sonhava com o dia de chegar a minha vez de pular de um precipício e fazer estripulias. Eu me enganei, me cortei, me arranhei, tentei me atirar em vão, e no vão me agarrei. Ao fazer isso, meus braços não aguentaram, soltaram. Foi minha primeira morte.
Agora estou viva, me sinto assim. Na verdade não sei o que sinto, sei que o amor é relativo e que as pessoas mentem. Sei também que paixão é 'fogo que arde sem se ver, é ferida que dói e não se sente...' (Monte Castelo- Renato Russo).
Quanto mais tento me segurar, mais minha mente me engana. Me dá razões para acreditar e sempre acredita.
Vou me atirar do alto, e que me atirem no peito, pois da luta... Isso você já sabe!



*click no título, veja o Legião Urbana tocando Monte Castelo! Lindo de morrer...