sábado, 27 de agosto de 2011

Hipopótamo insone

Meus olhos parecem cheios de areia. Por é mesmo que eu não vou dormir? Mamãe ainda nem chegou, o resto já foi pra cama. Tava pensando cá com meus botões -mesmo que eu não esteja com uma blusa de botões-, que bem que amanhã eu poderia fazer um sorvete, eu gosto de cozinha e me aventurar, porém nem sempre dá certo.
Uma verdade incontestável!

Mas eu tentarei reverter essa situação, eu sei fazer café, sei fazer brigadeiro (sei mesmo), pipoca (de microondas ou panela), sei fazer miojo, e o melhor: eu aprendo rápido, tenho boa vontade, situações não faltarão no futuro exigindo dotes culinários, e o que eu farei? Não terá mamãezinha pra fazer papá pra mim (é realmente doloroso pensar isso), eu terei que crescer algum dia. Cozinhar. Essa é uma coisa que eu não somente quero fazer, mas eu preciso aprender. Já me vem aquela famosa preguiça ideológica, só de pensar em lavar o arroz, escolher o feijão... Acho que posso sobreviver de pipoca e café... Não, eu não posso! Tenho que ser forte e continuar estimulada a mudar isso!
Essa hora da madrugada e eu aqui pensando em comida e em cozinhar. Aonde está meu bom senso meu Pai?
  Sei que você aí, meu caro leitor, deve estar pensando: 'nossa, deve ter sido a Bel que cozinhou este belo prato, ó'. Mas você está equivocado, eu peguei essa imagem no Google, tenho certeza que você nem pensou nisso! Tudo bem, é compreensível. Ai, me ignorem, estou variando das ideias já, preciso ir dormir. Boa noite.