domingo, 14 de agosto de 2011

O meu pai é a melhor mãe do mundo

Tem longos e lindos cabelos pretos cacheados. Um sorriso que contagia. Um olhar estonteante, com a sua voz possante, com seu jeito diferente (entende!)... Meu pai tem o cheiro que eu gosto, tem o abraço mais apertado, mais reconfortante. É a pessoa que menos pode me entender, é a pessoa que sempre me entende. Meu pai dança como ninguém. Meu pai sabe interpretar, saber cantar, sabe dançar, escrever poemas. Meu pai ri de tudo o que eu falo, só por que eu rio de tudo o que ela fala. O meu pai é fora de sério, fora do normal, não é nada convencional. Meu pai sabe ser uma mulher poderosa. Meu pai é a melhor mãe do mundo...
Amo você Cibele. Nada nem ninguém pode entender como funciona aqui, cabeça esquecida, tem que aprender a ouvir as filhas (tríplice entente) na nossa 3ª guerra mundial do quintal.
Um brinde à nossa falta de memória, e aos nossos tropeços, nossas vitórias, um brinde ao nosso amor, que é eterno e tântrico, um tanto excêntrico, porém meigo (lembra-se?).
Enfim, não preciso de outro pai, você já me dá todo o amor que eu preciso (educação não, porquê...a senhora entende). Façamos festa nesse dia dos pais e em todos os próximos, que é o seu dia, além do dia das mães, e no seu aniversário, e no natal e todos os outros dias do ano em que a gente, sem pretensão alguma, se abraça e declara o amor verdadeiro, esse elo marcante de compreensão e amizade entre todas nós.
Não vou morar com a senhora quando eu estiver velha, mas eu deixo você vir morar comigo...Já te avisei!
Tudo brincadeira (mas é tudo verdade).

Amo você...agora para de ler essas bobagens e vai estudar véia.