domingo, 18 de setembro de 2011

De repente

Uma porta se fechou, mas a janela que há tanto esperei se abriu e trouxe consigo o mais belo e terno raio de sol que meu rosto alvo, depois de tanto, almejava. Foi uma boa notícia, pelo menos para mim que sempre tive nas mãos a vontade de voar, mas a incapacidade de bater minhas asas....aquelas correntes, tristes correntes, aquelas que me prendiam ao seu estreito laço de vaidades e discórdias.
Naquele final de tarde, hoje, me apoiei no meu espírito e sem escrúpulo nenhum me vi defronte ao rio que nunca poderia estar se com você me visse acompanhada. Um cheiro bom de natureza, aquele cheiro que vem ao nosso nariz, quando nos é permitido mesmo quando a fumaça dos automotivos motores nos fazem tossir e escarrar essa força nojenta que empurra com a barriga nossas vidas, e faz crescer as unhas, os cabelos oleosos cheios de química. Os jardins ornamentais da cidade de plástico, aqueles mesmos que me dão a sensação de sofrimento interno disfarçado. Por que disfarçar? Eu me sinto bem, o bem eu espalharei, me sinto mal no mal eu confiarei.
Foi uma causa justa, perdida batalha pros infiéis. Minha densidade tão maciça, que meus precedentes a mim pregaram, fizeram eu escolher o escudo ao invés da espada, submeter você ao meu desconsolo seria perverso e eu não gosto de modelismos intransigentes, como você o faz.
Imagem. Eu odeio essa palavra. Não define. Estraga, corrompe o que não é superficial e mesquinho. Vejo você agora rindo dessa postagem, me achando melodramática, exagerada, melosa como você diria. Estou pouco me lixando, pouco me acabando, me explodindo... Não gosta assim? Se case com os seus ideais 'visionários' e realmente 'necessários' ao universo e à evolução dessa massa humana imunda. Vermelho é uma cor bonita, mas em pessoas que a merecem...como ela. Não como você.
Assunto que rende esse... Logo passa esse frenesi e eu retorno à minha inspiração cotidiana, rotineira e acomodada dos eufemismos coloquiais, qual minha ironia sempre subjetiva alcança. Posso estar te xingando de diabo ao quadrado e você não entenderá. Essa é a vantagem de não saber se expressar claramente, e de você não entender nada de nada realmente. Esse é um dos embates.
Hora me sinto acorrentada às tristes recordações, hora me sinto maravilhosa por poder falar que nem te ligo farinha de trigo. ADEUS.