sexta-feira, 30 de setembro de 2011

Vou falar!

Este é um post onde vou desabafar a minha irritação, então terá protesto, se me acha irritante falando sobre isso pare agora mesmo, por que agora estou atônita por prolixidade!
Aonde iremos parar? Milhares de notícias por aí e por aqui falando da intolerância, do preconceito, tudo incutido em cada um de forma tão enraizada que -não sei por quê- ainda me surpreendo. O mal causado pelas vias midiáticas encrustando em nossas mentes de pouco em pouco, um preconceito que não acaba... Me sinto tão impotente, longe de poder ajudar a acabar com essa pobreza de pensamentos, que falta de criatividade e intuição (não, errei é educação, cultura) seguir essas cabeças que o único desejo é aglomerar suas arrecadações de grana, e ficar cada vez melhor na mamata de seus bons ares condicionados ao frio. Que ridículo, pensar que é apenas esse histórico de valores que carregamos que nos faz assim, é tão ínfimo perto do que poderíamos realizar caso o destino do mundo fosse outro...destino não, já estamos fazendo é o presente!
Coisas que nós lemos que fazem repensar em quê está virando esse mundo, esse país...por quê tanto não possuem nada, e quase ninguém possui quase tudo...parece confuso de primeira mão, mas releia, quantas pessoas que você conhece nunca teve problemas financeiros na vida, nasceu em berço de ouro e morrerá em túmulo cravejado de diamante?
 Eu realmente não conheço. Conheço pessoas que já passaram fome, frio, e se sentiram envergonhadas por não conseguirem emprego apenas pelo fato de não possuírem estudo nenhum. Não é por quê essas pessoas não possuem a educação das escolas e dos livros que ela não tenha nada pra ensinar.
Tenho certeza que quem nunca leu um livro, nunca escreveu nem o próprio nome pode ensinar muitos valores melhores do que aqueles já engoliram uma biblioteca e pagaram suas faculdades com o dinheirinho suado dos seus escravos assalariados.
Desejo tão profundamente que essas pessoas paguem por suas línguas ferinas que degradam cada vez mais a mente das pessoas. Que viiiida! que vida!
A gente tenta ter voz ativa na escola e é julgada, tenta ter voz ativa nas redes sociais e é ridicularizada, tenta viver de forma correta e digna é louca, tenta ser honesta é chamada de burra... Eu não entendo mais esses valores inversos que estão propagados por aí, obrigada mundo por me fazer cada dia uma pessoa pior e mais desacreditada da sociedade, mas desesperançosa de conviver bem e corretamente com tudo o que vejo escorrendo dos jornais, esse sangue e essa lama que emporcalha nossas caras e mãos.
É tanta injustiça, tanta violência, mas disso todo mundo já sabe, o que não sabe é tentar reverter, nem se quer abrem o jogo para a verdade: ficam fazendo essas discussões filosóficas tão inúteis quanto a minha em vez de ajudar a tentar acabar com esse horror.
Cansei, to passada.