sábado, 12 de novembro de 2011

Espere...

Sente-se ao meu lado e me dê o beijo que esperava há muito, não se esqueça da despedida, dos abraços não dados. Não se esqueça que fui eu quem te amou. Que te deu tudo o quê pôde, e ainda pode dar mais, cada dia mais....o coração dói.
Vou deixar as convenções da indireta de lado. Cansei, agora abro a minha boca e assim morro. Pela boca, como muitos por aí. Eu só espero que sejamos todos felizes no final, que eu encontre novas pessoas, novas experiências, eu quero ser nova, já estou cheia de ser velha, ser passada.
Todos os dias eu penso no que é melhor pra mim, porque eu só penso nos outros. Você que lê o blog deve achar que eu tenho o maior amor próprio do mundo, eu e nada mais. Quem dera. Comecei a fazer isso tudo pensando nos outros, pra ver se me ajudava a parar de pensar neles... os outros. Eu descobri que me odeio, e no dia em que eu me descobrir perfeita em minhas imperfeições (físicas, mentais e sentimentais) eu vou poder amar outra pessoa verdadeiramente.
É uma realidade.
Eu só espero que não demore, a espera me enfada.