segunda-feira, 14 de novembro de 2011

Lá vem



Eu tenho todo o direito de me sentir mal e chorar, de achar que sou a última do mundo inteiro. Me sentir traída, excluída, envergonhada. Me sentir só. Sentir meu coração partido. Ter carência afetiva. Mas você não tem o direito de zombar dessa minha condição de sentimentalista eterna, muito menos de se achar superior porque não precisa externar a sua dor pra se sentir melhor como eu...é um vício, não pretendo e não irei mudar.
Eu me apaixono por quem eu quiser (na verdade não), e tenho as minhas desilusões todas que eu desejar (muito menos). Pelo menos não preciso me sentir mal por não ter tentado. Meu amor sempre é o maior esse é o grande problema...eu sempre amo mais, mais do que tudo.
Mas não ligo. Logo eu encontro alguém que me ame mais.