terça-feira, 15 de novembro de 2011

Mapa

Me toque assim
em voo rasante
como a chuva
que se aproxima
o vento entre as dobras da chuva
abrindo as janelas do sótão

Me toque assim
a ponta dos dedos
tirando a poeira
de tantos séculos
de luz mortiça

Me toque assim
como o último pássaro
do mundo engole o sol
e adormece no mar

Me toque debaixo da pele
ali onde dormem
os gerânios esquecidos
onde o sangue é mais leve
e as lembranças
fazem cem vezes
o mesmo caminho.

(Roseana Murray)