quinta-feira, 24 de novembro de 2011

Ô vóooooo

Como faz pro bolo crescer? Pode bate ao contrário, ou eu vou matar o bolo? Ô vó, como é que faz crochê? Me ensina? Vó já cansei desse crochê, vamos jogar escopa? Vóooo
Projetos! Essa palavra define o final de semana na casa da minha vó. É tanta tranqueira, tantas lembranças e recordações, tanto disco de vinil, doces, livros, cartas, desenhos, rébus, fotos, doces, conversas, doces, almoço de domingo, doces, brincadeiras, doces...e uns 10 quilos a mais também!
Eu lembro que todo sábado íamos dormir lá na casa da Arlete, e brincávamos de casinha e comidinha, e a gente pegava pétalas de rosas, acordar cedo e dormir mais cedo ainda. Rir até de madrugada no silêncio da casa só ouvindo os "SONS" emitidos da sala enquanto a vó fazia suas tradicionais palavras cruzadas... Acordar no dia seguinte sentindo o cheiro do café mais doce que existe, e comer pão quentinho... Minha mãe não tem o hábito de fazer café da manhã assim, na casa da vó é muito mais maneiro! Bolo de cenoura com cobertura de chocolate, e raspar a panela em que fez a tão amada "melequinha".
Sempre combinar de fazer trilhões de projetos e experiências, mas nunca efetivar nada. É a vida, mas um eu irei concretizar, vou sim fazer um livro em sua homenagem, temos um contrato né vovó? Eu escrevo suas memória "Lembranças de uma louca Baptista", vai ser uma epopeia digna dos deuses!!!
Obrigada por estar na minha vida. Obrigada por fazer parte da minha história e do meu presente-futuro.
Eu amo você indubitavelmente e com todos os "mentes" que preferir!!
  P.S.: Pós Scriptum (lembra-se?)
Sem mais.