sábado, 31 de dezembro de 2011

Lá vem esse papo de ano novo. De novo.

É último dia do ano. Mas o que aprendemos realmente? Já falamos disso mil vezes, não vou repetir. Nós sabemos que, apesar de, o ano foi maravilhoso. Amigos, família, escola, passeios, aprendizados  blá blá blá... Hoje é o último dia do ano, eu poderia estar dormindo agora, ou até mesmo fazendo uma retrospectiva 2011 bem legal, pra que pudéssemos rir e relembrar os emocionantes momentos. Mas acho dispensável, dadas as circunstâncias. Se quisermos relembrar o houve, podemos olhar as fotos ou até mesmo minhas postagens mais antigas. Mas o que eu quero é deixar mais claro.
Claro, porque esse ano... aaaah esse ano, já posso sentir.
2012, eita ano misterioso esse. Vamos cursar nosso terceiro ano do colegial, completaremos nossos 17 aninhos, somos tão criançolas e somos mesmo. Mas espera aê, essa sensação... eu conheço ela. É medo. Medo do que está por vir, haha, quanta covardia em! Nem digo que é tudo culpa minha, porque culpa eu não tenho, me abstenho. Cada qual com seu patoque e olhe lá.
Eu prefiro chamar esse próximo ano de ANUS PRÓDIGO (literalmente e figurativamente falando), pois pródigo...ah vocês já sabem. Ele vai nos enlouquecer, vai virar tudo de pernas pro ar. Nossas vidas, nossas rotinas, nossas amizades... É.
Agora você também está sentindo? Um certo frio na barriga? Talvez nem dê tempo de refletirmos ao certo o que está por vir, as coisas virão sem que precisemos nos esforçar. Tudo, minha mãe, minhas irmãs, minhas amigas e claro, o que eu considero o mais importante, o mais avassalador, o Holocausto da parada...ai, até dói mencionar, por isso mesmo nem falarei nada. Deixarei aí no ar, em migalhas espalhadas, como sempre esteve. Eu já chorei tanto por isso, será que vou chorar mais? Será que eu não terei paz nessa porra de cabeça, que só serve pra concluir utopias e devaneios estúpidos sem fundamentação em droga de acontecimento nenhum? Será que eu vou ter um novo recomeço, meu coração precisa de respostas. Precisa. Sou emocional. Sou fraca. Infiel às minhas convicções. Eu vou contra tudo, contra minhas vontades, meus desejos, minhas verdades, meus anseios. Você ri de tudo isso? Só porque não sabe o que estou pensando agora, sim...é necessariamente nisso mesmo...
...
Mas hoje não, é véspera de ano novo, estou temporariamente fora do ar. Minha cabeça sabe a hora de parar. Ou não.
Eu queria que esse post fosse apenas uma singela homenagem ao ano que está indo embora que foi tão generoso, mas está mais pra sentença de morte. Deveríamos desejar aqueles votos maravilhosos que todo ano é a mesma coisa, começar o ano com o pé direito...mas eu sou canhota. Não me venha com esse papo de sorte, eu faço a minha sorte, e agora estou prestes a foder com tudo e vou mesmo. Vou pois é meu último ano aqui e se eu esperar mais um pouco pra viver de verdade eu jamais vou me libertar. Preciso ter essa coragem... Então, que 2012 me traga essa coragem, me traga bons fluídos e àqueles a quem eu dedico a minha vida, meu amor, meu mais sincero amor...que eles consigam me entender, me ajudar, pra que eu possa continuar fazendo o mesmo. Sempre. Não é por que estou debochando no dia 31 que eu não posso desejar coisas boas para meus entes mais que queridos. Mas àqueles que fizeram mal e continuam por fazer, continuarei o meu desprezo fatal tanto faz tanto fez, é toma lá dá cá...não é assim que se diz?
Já se passaram quase 5 horas do último dia do ano, eu não quero dormir, minha cabeça girando à maneira dela, me diz que estou prestes a ter um colapso nervoso. Mas acalme-se, se eu não acordar amanhã, pelo menos vou deixar bastante coisa pra lembrarem de mim e muitas mágoas pra jogarem no meu túmbalo! Viva eu, viva 2011! Viva os cães raivosos (que me trouxeram várias lições), viva as mulheres grávidas e seus filhos saudáveis, viva a internet, viva meus amigos, viva o movimento gay, viva os bebês de proveta, viva o homem que foi à Lua, viva o Sol que nasce retumbante todos os dias, viva aos futuros cientistas que encontrarão a cura do câncer, da AIDS etc. Viva as músicas que só eu escuto, viva meus livros, viva minhas lembranças, viva as fotos, viva os que dedicam sua vida à cuidar das outras pessoas, viva aqueles que arriscam suas próprias vidas por isso. Viva quem não tem rancor, quem tem compaixão. Viva quem não sente raiva ou remorso, viva Coca-Cola o lado bom da vida, viva sua vida e esqueça a dos outros, viva os que tem mente aberta, viva aqueles que lutam contra a impunidade, viva quem conseguir ler esse texto inteiro, viva quem me odeia, quem me ama viva muito mais por favor. Viva meu pai, viva a tecnologia, viva os vícios e virtudes, viva o conhecimento e o amor, viva meu amor, viva...
E a sua cabeça? Como anda? Você sabe do que estou falando? Alguém me ouve nessa droga de mundo? Alguém pode me explicar como se faz pra viver? Sou criança e não sei o que faço, não sei como faço, nem sei se realmente devo fazê-lo, preciso de ajuda...preciso de...