domingo, 29 de janeiro de 2012

Igonorância? Xô pra lá!


Estava assistindo à programação dominical, quando sem saída me vejo assistindo à TV Record. Como de costume, Ana Hickmann fazia em seu programa um concurso de piadistas iniciantes etc. e tal. 
Um dos participantes fez a seguinte "PIADA" [???????]:


"Esses dias conheci uma mulher grande, ela tinha 1,80 m.... de largura (a platéia riu). Cara, a mulher era tão grande que o apelido dela era 'churrasco grego', todo mundo tem nojo mas sempre tem um que come." (a platéia - ignorante, por sinal - foi ao delírio, para a alegria do humorista)


Debochar desse tipo de situação é muito bom né, me lembrou da piadinha do Rafinha Bastos sobre a Wanessa Camargo ("como ela e o bebê"). Sempre tem aqueles que se acham 'moralistas' e o caralho pra falar que se trata de liberdade de expressão, mas pra mim parece mais um tipo de abuso da liberdade de expressão. Pra ser mais clara, preconceito massivo e enraizado na sociedade. Todos veem graça de rir das mulheres gordas, todos acham hilário o Rafinha ter aquela coragem que ninguém tem de falar o que pensa e na hora que ele quiser, estamos no Brasil e a tirania acabou não é? 


NÃO É!


Acorde pra real situação. A televisão te manipula o tempo todo. Pare de rir da Valéria e da Janete meu caro, todo sábado é a mesma insinuação de chacota em cima dos travestis e pior, insinuação de estupro contra a mulher dentro dos metrôs, eu não consigo mais achar a graça daquilo...enquanto o travesti for motivo de piada pra todo mundo, vai haver preconceito. Enquanto rirem de mulheres acima do peso, a obesidade e a depressão existirá também. Pare de rir do que não tem graça. Pare de ser ignorante também. Pare de assistir programas que manipulam essa sopa de ervilhas que tem dentro da sua cabeça, que você chama de CÉREBRO.
Engraçado é ver que enquanto rolam os programas e as propagandas pra incentivar mais e mais o consumismo e sobra algum tempinho pra eles poderem nos entreter como crianças com um chocalho novo. 
Acham que são todos que ficarão acomodados no conhecimento limitado que nos impõem. Quanto mais burros nós formos, melhor pra indústrias que geram a miséria.
Vai lá espertalhão, fica na moda assistindo seus programas esportivos favoritos, amando e devotando o pouco que sobra da sua dignidade às grandes redes televisivas.
Luisa no Canadá é o caralho, eu quero ver como anda a crise européia. Eu quero saber se a paz já foi estabelecida no Oriente Médio. Eu quero ver se a minha liberdade (verdadeira) na internet está garantida.
Democracia só se for na cadeia, porque o pouco que eu conheço sobre democracia é que trata-se de direitos garantidos, assistidos e reservados à todos. Não to vendo nada disso. Foda-se essa merda de governo.