domingo, 12 de fevereiro de 2012

12/06/2005




Ainda que seja tarde é preciso dizer...
tudo que foi silenciado, tudo que ainda
queima dentro da alma insatisfeita...
Afinal, somos sempre pedaços, somos lembranças,
do que vivemos? Do que perdemos?
Do que fomos? Dos que se foram?
Somos pedaços, pedaços de vida,
pedaços de risos, pedaços de prantos.
Afinal, somos apenas saudades,
e saudade é também um pedaço de rostos,
de rastros, de passos, de idas e vindas.
Hoje é dia de lembranças, lembranças doem
são machucados da alma
Ferimentos profundos, espinhos na carne envelhecida
Hoje é dia de lembranças, de lembranças,
hoje é dia de amor, ainda e sempre.
Me pediste hoje um sorriso, te dou uma lágrima
e todas as minhas lembranças
É tudo que eu tenho, o mais precioso.

(Minha avó)