domingo, 19 de fevereiro de 2012

Não sou debutante, mas é 17!

Parei meu desenho de imediato, porque precisava dizer isso.
Meu aniversário está chegando, é depois de amanhã, sei que tenho sido muito chata e irritada esses tempos, não só pela TPM, mas por essa razão também. Eu fico irritada ao fazer aniversário....eu entendo que estou completando meus 17 anos, que é um dia muito mais que especial, o dia em que se comemora nosso natalício. Todos que me amam e desejam estar ao meu lado, me parabenizar, comemorar comigo, dar presentes...eu gosto tanto disso.
Mas estive refletindo tanto, 17 anos, eu vou fazer 17 anos! Ano que vem vou pra faculdade. E como eu vou sobreviver sem as pessoas que eu mais amo na minha vida... quero dizer... sem conviver com elas todos os dias?
Eu sou muito dependente do amor de todos vocês. De todos sem exceção, meus amigos, minha família...
É por isso que fico triste no meu aniversário, cada ano a mais, é um ano mais próximo do afastamento... tenho medo de cair no esquecimento, não só do meu próprio, mas das pessoas.
Não quero chorar sozinha com saudade dos palavrões e da falta de paciência da Isadora, nem sem as risadas e os xingamentos diários da Lena. Sem o cheirinho da comida e dos lençóis da mamãe, sem o carinho e a compreensão da Ge, da inocência do amor e amizade do Math. Sem os olhos charmosos do Irgu, as loucuras e brigas com a Ma. Os conselhos e conversas estimulantes com a Carol, as interpretações e danças com o Vi...
Tudo.
Como cabe tanto amor em um único coração?
Como posso ficar tão emotiva perto do meu aniversário e finalmente perceber que sem essas pessoas todos os dias na minha vida não vai ter a mesma graça. Eu sei que devemos olhar para o futuro, caminhar pra frente e avante....mas dói.
Mamãe esses dias atrás, fui dormir na casa da Ge e tinha passado o dia lá, quando voltei ela disse: "ela tem passado tanto tempo assim fora de casa que é pra eu me acostumar a ficar sem ela..."
A senhora está completamente equivocada. Muito pelo contrário, é pra eu me acostumar. Eu não quero ter que ir morar longe demais, não quero que a senhora pense que eu só quero é sair de casa. Nunca.
Eu só quero fazer arquitetura e aqui não tem mamãe, desculpa eu não querer outra coisa.
Eu só preciso crescer essa cabeça infantil. Me arremessar pra frente, pra não sofrer demais.
Eu sempre serei essa feia e eu
não gosto de bolo de festa! 
O tempo passou rápido demais, eu cresci rápido demais, o 3° ano estou cursando, minha cabeça fervilhando de tanto medo do vestibular, medo de não conseguir, medo...
Então não me apavore, eu já estou apavorada. É muita pressão, muita, eu não tinha noção disso. Estudei a minha vida toda, me preparei muito bem desde o início.... mas será que é o suficiente? Será que vou surpreender?
Não queria fazer aniversário.
Tá indo rápido demais.