terça-feira, 26 de junho de 2012


Se acaso me quiseres, sou dessas mulheres que só dizem "sim!". Por uma coisa à toa, uma noitada boa, um cinema, um botequim. E, se tiveres renda aceito uma prenda, qualquer coisa assim. Como uma pedra falsa, um sonho de valsa, ou um corte de cetim. E eu te farei as vontades. Direi meias verdades. Sempre à meia luz. E te farei, vaidoso, supor que és o maior e que me possuis. Mas na manhã seguinte não conta até vinte: te afasta de mim, pois já não vales nada, és página virada, descartada do meu folhetim.
(Chico Buarque de Holanda)