segunda-feira, 30 de julho de 2012

Cultura




Não é só um canal de televisão que transmite programas que você não entende e não procura assistir. Também é o veículo da sabedoria e possível produtor da paz entre os povos. Mas não na sociedade de hoje. Repense, liberte-se dessa ditadura midiática.
Em âmbitos nacionais, o Brasil é um dos países mais ricos e autossuficientes em cultura. Generalizando de forma grotesca, a parte mais marcante da cultura brasileira é o Samba que persiste em ser o mais famoso dos traços culturais noticiados fora do país.
Em termos gerais a agregação cultural nos tempos de hoje é muito mais forte e marcante dado o avanço da tecnologia e a interação que a internet pode nos possibilitar. A velocidade no compartilhamento de conhecimentos e pluralidades pelo mundo afora têm sido tão eficaz, que hoje em dia a maior massificadora cultural de todos os tempos, a televisão, está se tornando um item antiquado e menos procurado por quem pretende manter-se atualizado e/ou conectado com as novas culturas, ou podemos chamar de “modas”.
Brasil é um país rico, culturalmente falando. Não qualificamos “cultura”, somente o folclore ou o que há de típico na região, cultura é também agregação de valores e moralidades. Nossa cultura é aquela velha conhecida: “o jeitinho brasileiro”. Não possuímos bases fortes que possam ser a base sólida e fortificada de uma cultura exemplar, nossos conhecimentos são pautados na vivência de cada um, cada ser individual e não no conjunto de seres. No conjunto que chamamos popularmente de “sociedade”. O brasileiro da atualidade pensa em primeiro lugar na própria lucratividade e em seu crescimento pessoal, depois ele pensa em sua família e aí sim, dependendo da forma em que ele tenha sido educado, vá pensar na sociedade como um todo.  Seria mais correto chamar essa “individualidade” de egoísmo.
Mas esse tipo de conduta não é agregado somente ao nosso país, essa, infelizmente, é uma qualidade negativa mundial. O mundo é egoísta e preconceituoso. E o que leva à isso tudo afinal de contas? Oras isso tudo nos leva de volta ao início do texto: Agregação de valores, cultura. A coisa mais rica que uma população pode possuir são os conhecimentos que ela carrega, e se a cultura que ela transmite for negativa, os frutos que ela irá colher em um futuro próximo poderão ser também negativos.
Uma “arma” de massificação midiática como a televisão, tão mal utilizada por quem a faz e quem a assiste é o maior causador de problemas sociais. O povo brasileiro é levado todas as noites à frente de sua tela para assistir sua novela preferida, seu futebol, seu jornal manipulado enquanto todo o dinheiro que deveria servira para garantir os direitos humanos de todos é roubado e tirado de quem realmente precisa dele. Habitação, saneamento básico, educação, alimentação, trabalho, enfim... São coisas que todos nós deveríamos possuir n mesma medida, pra que seja justo, mas a ganância e o egoísmo são tão maiores do que o amor e a caridade que toda a esperança se esvai.
Não estou fugindo do tema proposto, há uma razão pra que eu tenha tocado no ponto da corrupção no país. Pois se todos nós recebêssemos a cultura de que roubar é errado e isso fosse não só um dos mandamentos divinos, mas também uma norma humana inviolável aí sim saberíamos usar nossos recursos midiáticos, nossas inesgotáveis fontes de cultura, sabedoria e conhecimento.
Não use a cultura para o mal. Use-a para tornar o meio na qual você vive o melhor possível. Cultura não é pouca coisa, é mais valiosa que ouro.