sábado, 21 de julho de 2012

Dia do amigo?

Difícil dizer. Quem eu considerava tão amigo, tão irmão, hoje nem precisa saber de mim... Se eu pergunto, não responde e se responde não é com sinceridade. Me faz pensar que eu faço mal, que eu dissemino a discórdia, que sou eu quem precisa abaixar o ego MAIS UMA VEZ e pedir perdão. Não, eu perguntei o que havia de errado, não quis me responder? Então deixa pra próxima da fila, a vida é assim... A gente evolui, cada pokemón no seu quadrado.
Eu sei que da minha parte foi verdadeiro desde o início, sei também que existem coisas com começo, meio e fim. Essa deve ser uma delas... Seus problemas sempre são os maiores né? Sempre está mal, nunca pode dar um sorriso sem dor, sem ressentimento, precisa pisar em cima de todo mundo com esse gênio do mal e esse orgulho crescente. Será mesmo que eu não me importo? Ou será que já passei tantos anos na sua aba, me alimentando das migalhas do seu amor, sem saber o que era amizade FIEL, amor verdadeiro, sem saber que no fundo do seu âmago você nem ligava pra mim... Será que todo esse tempo era só pra eu aprender a voar sozinha e encontrar as verdadeiras almas que eu preciso pra minha evolução? Deve ser.
Eu sei que dói, dói muito em mim pelo menos. Eu choro por saber das promessas que fiz e a insegurança de não saber se vou realmente poder concluir tudo. Dói realmente não poder dizer o que eu penso disso tudo, só porque eu sinto medo de te aborrecer, medo de falar algo que te faça sentir raiva (de mim), ou desencadear aqueles seus pensamentos malucos. Eu não gosto de ser do lado ruim da história. Não gosto de ser TODAS AS VEZES a culpada de tudo. Porque eu não sou, e também não sou orgulhosa, já me humilhei demais só pra pedir perdão, abaixei meu ego só pra te fazer feliz. Mas já deu.
Eu encontrei pessoas que desejam tanto me fazer feliz quanto que eu as faça feliz. Encontrei pessoas de verdade. Pessoas sem interesse no que eu posso resolver ou oferecer. Não é bom depender de uma pessoa pra ser feliz, muito menos depender de um certo "perdão". Eu não quero ficar com a minha consciência pesada, com a sensação de que eu não fiz nada pra reverter essa situação... Tem pessoas que vem e vão, esses não são nossos amigos de espírito, pessoas que desaparecem da nossa vida sem dar explicação são só caminhos... Caminhos sem volta. Não me importo mais. Não me envolvo mais. Não questiono, não me estresso, já tenho muitas preocupações pra esse ano... E pro começo do resto da minha vida. Começo? Sim, agora é que eu comecei a viver. E eu agradeço aos meus amigos de verdade por terem aberto esse caminho pra mim.