quarta-feira, 11 de julho de 2012

O pragmatismo da aceitação global

Visto os vários acontecimentos ultimamente, vamos por às claras a dificuldade de entender a verdade sobre a alma humana e sua essência natural: o amor. Tantas notícias aí no ar de casais sendo atacados, irmãos agredidos, pai e filho espancados, pessoas mortas... Tudo por causa da maldita intolerância contra os homossexuais, uma das violências mais infundamentadas de todas. Tá certo que nenhuma violência se explica, mas essa em questão é completamente ridícula.
O pior é que essa postura geral que todos tomam, rude e agressiva contra os outros priva, prende, detona a auto-estima de quem tenta se aceitar. Pois é, não temos que tratar apenas da aceitação da sociedade e a tolerância por parte dos que agem por nome de "deus", um deus que prega o ódio, e isso meus caros vocês não souberam interpretar da palavra que foi deixada. Tantas pessoas por aí vivendo infelizes sem se assumirem, sem assumirem sua verdadeira personalidade, seu gênero, desejos, tanta gente presa  dentro de si mesma que me lembra uma citação do livro do Sidney Sheldon (Depois da Escuridão) que me fez pensar por muito tempo: "Se Grace tivesse que escolher uma palavra para descrever como seu primeiro ano na prisão fez com que se sentisse, seria LIVRE. Essa talvez fosse a maior ironia de todas."
A prisão interna é a pior de todas elas. A pressão do próprio pensamento agindo sobre as ações e refletindo na massificação do preconceito. enquanto ainda houver gente pra criticar, pra matar, pra bater... Haverá guerra, e ada dia essa guerra aumentará. As pessoas não estão mais acomodadas com o que nos é dado de mãos beijadas por essa ditadura midiática que não só influi nos pensamentos, mas também no estilo de vida, na moral.... Moral? Isso ainda existe?
Não sei o que significa moral em um mundo onde um terrorista caçado por 11 anos a fio foi morto a queima roupa e exposto pelas emissoras de TV mais importantes do mundo, Osama foi morto na frente da esposa e todos comemoraram sua morte, se igualando a esse assassino. Não é o que dizem? As pessoas gostam de transferir responsabilidades. Hoje em dia o que é bonito é a justiça sendo feita pelas próprias mãos, sendo as do governo ou não. Ninguém mais quer optar pela paz. Pelo amor.
Em um país como o Brasil, onde coronéis do dinheiro imperam impunes, sem que haja uma justiça, só a corrupção do homem agindo, em um país como o Brasil, que tira de seu cargo de Senador um cara só pra encobrir outros e que se dane o resto do mundo e logo logo o povo esquece o Cachoeira.... Aí você vem e me pergunta depois de toda essa mistura de assuntos, o que é que eu tenho a ver com essa paçoca? E eu então lhe responderei: bom você eu não faço ideia, mas eu sei que estou aqui pra combater qualquer tipo de impunidade. Qualquer tipo de violência, influir para que as pessoas prefiram pensar ao invés de engolir todas as informações mastigadas que essa mídia corrompida nos propõe.
União homo-afetiva, religião,política, violência, qualquer assunto referente ao bem estar geral deve ser debatido, pra que novas agregações de valores sejam feitas, e os velhos conceitos sejam renovados, os novos princípios surjam e um novo tipo de moralidade, respaldada na índole e no caráter do homem e não em sua religião seja adepta. Repense. Pense.