domingo, 22 de julho de 2012

Sábado, não se vá




Toda essa valentia vai embora de mim quando você me fala que se sente fraca, se sente longe das coisas você queria fazer, todos os planos, todos os desejos de férias. Nada do que queríamos conseguimos concluir de verdade. Isso é o que menos me preocupa, eu só não quero ficar longe de você, não ter mais as suas mãos de dedos compridos pra eu apertar. Não precisa chorar, eu to aqui, você sabe que me tem sempre que precisar de um colo, precisar desabar. Eu posso ser o seu alicerce sempre.