sexta-feira, 13 de julho de 2012

Tempestade em copo d'água

Nãoooo.... Não é essa tempestade a quem me refiro...






Aah sim, talvez essa esteja ao pé da letra demais, mas gostei da ilustração. Sim eu faço tempestade em copo d'água e não é por nada não, mas não suporto me entregar pelas metades à qualquer coisa que me dedico... Seja um desenho, seja um texto, um estudo, um relacionamento, ler um livro... Posso me entregar de corpo e alma e ainda assim considerar todo o meu esforço uma coisa falha, falida, quem sabe até descabida. Quem nunca sofreu por pensar demais? Por imaginar demais? Por simplesmente existir, e não viver?... Quem nunca esqueceu que certas coisas não te pertencem nem mesmo podem ser suas. Quem nunca pensou ser o rei da cocada preta, mas na verdade não passava de um zé qualquer?... Pois é, já vou me adiantando e dizendo que esse mal já veio incutido em mim e não só na minha geração, sou o fruto mal sucedido de uma união sórdida entre dois cabeças duras. Eu sou o que se chama "a ovelha negra", talvez até a "aborrescente sem causa". Mas sou mesmo, tenho que admitir que faço tanto drama pra tudo quanto é coisa desnecessária que penso ser mais frívola do que os jovens que considero superficiais, esse padrão que eu vivo tentando fugir dos jovens e hoje, mas acabo sempre na mesma viela sem saída: ADOLESCENTE!!!
Tenho que parar de inventar motivos pra me preocupar, preciso só é refrescar a cuca e deixar as coisas passarem, meus sentimentos mudam, meus pensamentos mudam, até as minhas músicas preferidas mudam... Então por que deixar essa fase ruim se prolongar? Eu sei que quanto mais drama eu fizer, pior eu vou ficar então é melhor eu ir me acalmando e recomeçar a estudar. 
Meu melhor caminho para o meu objetivo final, não que eu já esteja contando com o ovo lá na cloaca da galinha, nem com o meu fim certo daqui uns anos... Ou qualquer coisa do tipo, mas estudar é a saída mundial de qualquer pessoa que queira se diferenciar, e a todo momento desde o começo do texto só estou tentando dizer que não quero ser igual, não sou igual e toda essa minha diferença me faz ser completamente cliché... Já tem muita gente diferente no mundo, não tem mais coo ser original ou pelo menos mais autêntico. Sempre seremos cópias exatas daquilo que admiramos. Eu sou, você também é, pode ter certeza.
Há uma dezena de razões pra eu surtar de vez e deixar que essa droga toda se dane, mas eu prefiro continuar brisando na vida e mascando o meu feno calada, só existindo... Porque se eu resolve viver, pelo menos agora, vou realmente surtar.