sábado, 18 de agosto de 2012

Sábado? Nem parece

O dia mais difícil é aquele em que nós não queremos levantar da cama. Que levantamos atrasadas, que sentimos dor de cabeça, tropeçamos no tapete da sala, batemos o dedinho do pé na quina da mesa. O dia mais difícil é aquele que perdemos tempo hábil fazendo coisas inúteis e, assim, nos sentimos inúteis. O dia mais difícil é aquele que não temos mais cabeça nem pra fazemos o que gostamos... Desenhar, ler, estudar, jogar videogame, até andar de bicicleta vira um martírio. Quando brigas e desentendimentos acontecem com todos e por qualquer motivo fútil. Quando você só queria ter paciência e fica estressada até consigo mesma, por não ser o que esperam que você seja.
Por ter uma cabeça bitolada, uma cabeça fechada mesmo sempre buscando conhecimentos e alternativas boas. O pior dia é aquele que seu coração dói o tempo todo ao ver o sofrimento da sua mãe pela perda de um grande amigo, seu coração dói só de ver o gato preso no telhado e você se mata pra tentar resgatá-lo (pela quinquagésima vez na semana)... O pior dia é quando você não tem alternativa senão engolir seco seu orgulho e pedir pra Deus te tirar dessa sensação ruim de final de semana. Essa sensação agourenta e fatídica.
Mas esperemos o sol ficar mais alto lá no céu e trazer bons ventos pra nós. Trazer mais calor aos nossos corações e tirar essa fome de criatividade, de amor, de carinho, conforto... Trazer de volta a palpitação do nosso coração. É o que eu espero.