terça-feira, 25 de setembro de 2012

A hipopótama insone ataca novamente...

É, nos encontramos aqui de novo: sem sono. E amanhã ainda é terça-feira, eu terei aula logo cedo, deveria ter ido dormir há muito tempo... Mas por que eu estou tão despertada? O clima está perfeito para o sono profundo, chuva, vento, cansaço, exatamente tudo. Mas não sinto nem um pingo de sono.
A casa inteira dormindo, assim nesse silêncio, me dá tanta fadiga só de pensar que logo estarei mais sozinha que isso. Terei de me virar, morar sozinha, logo eu que o que mais temo é a solidão. Isso me enfada... Essa espera pelos vestibulares, pelas provas, a incerteza do meu preparo, dos meus conhecimentos, se terei ou não capacidade pra chegar aonde eu preciso (não somente quero-sonho-almejo pra mim)... São essas coisas que costumam passar pela minha mente de tempos em tempos, que me assombram e me deixam irritada, de mal humor.
De qualquer forma, precisarei crescer se quiser vencer, e superar meus limites, transpor barreiras nunca vistas antes por mim. Encarar minha solidão de frente e entender que em corpo presente, estarei ali somente comigo mesma, mas em meu coração estão morando todos aqueles a quem eu vou devotar minhas saudades diárias, meus telefonemas, minhas mensagens na internet.
Vou aprender a não ter mais medo da chuva, nem de trovões. Nem de escuro, e até de borboletas. Não vou temer mais o meu próprio medo e nem ter medo de ser omissa, de não protestar. Estarei vivendo, assim como faço agora, e aproveitando cada oportunidade de ser feliz, de respirar com tranquilidade e consciência limpa. É só o que eu desejo.
Ganhei um presente muito inspirador ontem, que me deu mais um motivo de sorrir hoje, e refletir sobre algumas coisas que estavam realmente me incomodando. Pode parecer bobo, ou irrelevante, mas algumas coisas que aconteceram hoje me fizeram pensar muito: uma Bíblia! Que presente interessante não é? Eu acho. Todos sabem da minha admiração pelo Sermão da Montanha, que é a passagem do Evangelho de Mateus, mais precisamente nos capítulos 5, 6 e 7. Mas o meu momento favorito fica no capítulo 6 no versículos 28 e 29... "E, quanto ao vestuário, por que andais solícitos? Olhai os lírios do campo, como eles crescem; não trabalham nem fiam. E eu vos digo que nem mesmo Salomão em toda sua glória, se vestiu como qualquer um deles."
Não é de fato um belo ensinamento? O desprendimento, a simplicidade... São coisas que devemos carregar dentro de nós todos os dias e multiplicar, ensinar à quem está perto de nós. Como a minha mãe disse, a Bíblia tem ensinamentos incríveis, só precisamos sabem filtrar e não podemos ser fanáticos em tudo. Eu conheço a Bíblia, estou aberta ao que ela pode me passar, assim como o Alcorão pode me dar outra visão de algo que eu não estava tão aberta a entender na sociedade. Só não levar para o extremo as religiões, Deus está acima de qualquer pregação terrena, "só se enxerga bem com os olhos, o essencial é invisível aos olhos".

Esta pessoa da foto acima,
sou eu estudando durante a tarde.
Grande coisa.