terça-feira, 4 de setembro de 2012

Menina dos olhos.

Essa noite, deveras macabra me abre o apetite das palavras. Não escrevo aqui, agora, sobre meu pai ou sobre felicidades que agora vou guardar só pra mim (em outro momento- talvez). Agora escrevo sobre as gavetas. As gavetas da ilusão. Pertenço ao mundo das pessoas bobas, que se atrevem a pensar demais. Sempre lidando com as confusões dos pensamentos errados, sobre mim mesma, sobre outras pessoas, sobre oportunidades. Vimos alguma luz, alguma oportunidade de sermos felizes, naquele momento fomos?
Eu pensei que soubesse lidar com as minhas tristezas de forma madura. Mas percebo que sou tão infantil que nem ao menos dou conta de controlar meus sentimentos. Mesmo já tendo passado pelo mesmo tipo de situação outras vezes, a rejeição ainda me deprime e me deixa mal. Não sei lidar com as rejeições.
Mas... Tudo bem.