sábado, 22 de setembro de 2012

Meu blog espetacular

Só depende de mim o que vai ser do meu futuro como escritora. É fato que desde menina pequena (como se hoje eu fosse menino e grande... Mas enfim) eu sempre desejei escrever um livro, um não: vários. O primeiro será de minhas recordações e histórias na casa da minha vó, e meu desejo é também ilustrá-lo. Projetos futuros... Como o blog foi para mim, uma válvula de escape para tristezas que não passavam, para minha aceitação (tanto do meu caráter e personalidade, quanto das outras pessoas). Por incrível que pareça não comecei a escrever por mim mesma, apesar do blog chamar-se "De mim mesma" e eu considerar isso a maior prova do meu egocentrismo, foi mesmo pra conseguir aceitação. Eu escrevia (escrevo ainda, obviamente) para os outros. Claro, todo mundo que escreve e publica, produz imaginando a reação do leitor, de seu público. Mas não era assim pra mim... Eu só queria ser aceita por quem eu realmente era, ou por uma imagem que eu transparecia aqui. Muitas vezes não fui verdadeira comigo mesma, e agora que tenho plena consciência de que sou humana, cheia de falhas e erros naturais, posso aplicar meus aprendizados à minha "obra". Até meus desenho já deram um salto adiante, não porque aprendi técnicas novas (mas eu aprendi sim, com o meu amado quase ex-gorducho Math, que é o melhor desenhista que eu conheço - só conheço ele), mas também porque meu olhar artístico foi modificado, agora tenho outra visão para o mundo e para a natureza. Um olhar mais jovem.
Com toda certeza eu era velha. Completamente ultrapassada. Agora me sinto renovada e menina de novo, livre pra pular nas possas de água da chuva sem me preocupar com a asma ou o resfriado que não posso pegar. Correr atrás dos meus sonhos (frase clichê. Mas falar que alguma coisa é clichê, já é clichê. Então esquece) e ser feliz, mesmo sabendo que enquanto as pessoas vivem infelizes presas à suas medíocres ignorâncias e que o mundo é um lugar um tanto quanto cruel com quem deseja ser livre e resplandecer sua felicidade aos demais. Mas não vejo dessa forma, quero somente passar pra quem estiver ao meu redor minha capacidade de ser diferente e ter um bom espírito, quero ajudar as outras pessoas a terem esse esclarecimento inovador em suas vidas. Até o gosto das coisas fica diferente, até minha inspiração muda. Sou uma camaleoa...

Pode rir da minha cara de doida, ou da minha gulodice com a melancia... Mas rio de você que teima em não ser espontâneo e verdadeiro até consigo mesmo.