domingo, 7 de outubro de 2012

Minhas linhas

Não é nada fácil criar uma face, uma vida. Temos que movimentar a massa, mover o espírito criar trejeitos e frases prontas pra que ali, naquela alma seja verdade o que eu inventar. Não será nada fácil, após o processo de criação me desfazer de meu personagem, após viver (nem que por uns segundos) a vida dele. Posso escrevê-lo em menos deu um minuto, criar passado, presente e futuro. Fazer cara, coração, sonho e medos. Mas não posso entregar-me por completo a somente um único ser desses que a gente escreve. Meus diários repletos de criaturas, crianças, velhos e mulheres. Repletos de gente que eu nunca virei a conhecer, nem ao menos existem realmente.
Como faço a cor dos olhos dessa vez? E os cabelos, jogo para o lado ou deixo amarrados no alto da cabeça em um único rabo? A boca será vermelha naturalmente ou usará a tiracolo um batom cor-de-rosa comprado no catálogo mais barato? As roupas serão da moda passa ou futura? A personagem irá morar em uma casa, com quintal e plantinhas, ou em um apartamento apertado cheio de bugigangas e adereços que façam cumprir sua personalidade transcendental?
Eu farei o papel de mera narradora ou dessa vez serei atriz? Serei Deus, serei sereia e melhor amiga. Serei namorada, amante, prima, mãe, conjugada, morta, catalizada. Serei só uma vez a mais, ou a menos, serei o de menos. Serei só sombras e sonhos, serei cada vez menos e mais distante. Serei só sua e menos dos outros.
Eu escrevo a vida, e a vida se faz assim pra mim. Eu escrevo e nas minhas linhas tudo fica bem. Eu escrevo e o destino é certo, tudo funciona bem. Afinal de contas, é meu. Eu fiz. Então à mim continuará a pertencer. Farei pausas se necessário. Escreverei textos aleatórios falando da vida e das vontades de cada um daqueles que estou fazendo. Que represento.
É como um palco de teatro, vazio de empoeirado. Precisando ser encerado pra que haja alguém ali preenchendo. Esse palco é limpo por alguém, encerado, refeito com todo o carinho, e de noite à meia luz. Ao som das lindas trilhas sonoras com um belo ator confirmando tudo o que está no script. Simples e difícil.