quarta-feira, 17 de outubro de 2012

Miragem minha



"Eu olhava as fotos amassadas dele, as que resgatei do lixo após uma crise de ciúmes que tive. Pensava no quanto poderia amá-lo, mas o quanto ainda eu viria a odiá-lo... Por simplesmente existir, mas não existir para mim. Ele até poderia ser de carne e osso, e andar pelas ruas e vielas da cidade. Mas jamais iria me amar, eu jamais poderia tocá-lo. Jamais. Era distante, era impossível e eu impulsiva. Sentia vergonha, medo, inveja da esposa dele. Muita inveja dela e ciúmes dele. Não era meu."