domingo, 21 de outubro de 2012

Poeminha para mim


Barretos, 6 de outubro de 2012

Para Isabele, da vovó MAB (Maria Arlete Baptista).

Quem vê a nossa Bebel
Não sabe nem a metade
Da sua enorme capacidade
Aqueles olhos castanhos
O sorriso branco cativante
E a quase timidez
Não dizem nada a ninguém.

No entanto, nossa Belinha
Sabe tudo, aprende tudo, sem alarde.
Calada, prestativa, amorosa,
Craque nas matérias escolares
E sabe das do coração também
Com meiguice nos explica
O valor que o amor tem.

Sabe de música, de vida, de artes,
Toca violão, guitarra, gaita,
Pinta, desenha, sonha fazer
Arquitetura e outras coisas mais.
Programa festas na escola
Organiza festivais
Tudo, tudo, só sorrindo,
Calada, meiga, indo e vindo.

Assim é nossa Bebel
De olhos da cor do mel
Doce, sincera, competente,
Amiga dedicada, filha obediente,
Neta e irmã carinhosa.
Lê, estuda, desenha, ama docemente...
E o sorriso? Todos sabem e eu também,
É uma dádiva a quem quer bem!

E além de tudo,
Uma coisa mais que me encanta,
É minha prendada,
E além de tudo minha afilhada!!

Obrigada vovó, eu amo a senhora.