quinta-feira, 15 de novembro de 2012

A Visita - Parte 1


Ele olhava através da janela as vidas que precisava zelar. Seus olhos eram de um doce azulado que atingia todos os tons de verde e chegava ao mel. Era incrível olhá-lo nos olhos, uma experiência única. Seus cabelos eram de um negro resplandecente e tão longos que atingiam a parte inferior das costas. As longas asas brancas que saíam pelas suas costas bem feitas eram de se admirar. Tinha mais força espiritual do que corporal, mas era um grande guerreiro também. A boca da onde saíam lindas orações era desenhada, e sempre dizia coisas que levavam ao bem comum. Era a perfeição em espírito. Era um anjo.
Do lado de dentro da casa, havia cinco pessoas. Ele conhecia cada uma delas em seu íntimo. Cuidava e zelava da família toda. O porquê ninguém sabia. Ele tinha certa afinidade com cada um ali e ninguém podia vê-lo, mas quando oravam e pediam aos céus a proteção necessária para enfrentar os brutos choques do dia, era ele quem vinha ao encontro deles.
Suas mãos tocavam os olhos da menina, e assim que o fazia ela adormecia calma e bem zelada. Ela sonhava com coisas incríveis tipo cavalos, submarinos, estrelas lindas, tarde ensolaradas e cheias de frutas no pé. Ele agora estava com o menino mais velho, e sussurrava-lhe ao ouvido orações e cânticos que afastavam os maus sonhos e tranquilizavam o pequeno rapaz que logo sairia da casa dos pais. O menino mais novo ele sempre segurava os dedinhos, pois o sono era agitado, mas com sua presença a criança dormia tranquila e serena, como se seus sonhos fossem os mais lindos e doces do mundo todo. Os pais tinham a mesma proteção e carinho, ele sempre zelava para que os desentendimentos fossem solucionados da melhor forma e que a paz reinasse naquele lar. Que os adultos soubessem resolver seus problemas com paciência e sabedoria.
Era para ele um prezar fazer aquilo. Cuidar. Sentia que fazia parte daquele povo, daquela família, sentia-se acolhido e bem sabendo que estavam todos sob seu resguardo. Mas não naquela noite.