quarta-feira, 23 de janeiro de 2013

Estranho mundo dos humanos


"Naquele momento, não existiam palavras que pudessem descrever tamanha angustia. Tinha medo do incerto. Desconhecia seu destino, estranhava a si próprio.
A casa vazia e seus cães, que embora jamais pudessem compreende-lo, eram suas únicas companhias.
Seus sentimentos inquietavam-lhe o peito, até decidir que o jardim seria seu novo confidente. Abriu a porta e acomodou-se em um degrau qualquer da velha escada de tijolos.
Diante de seus olhos havia uma roseira em flor, talvez a mais bela que já tivesse conhecido. Observava-a com deslumbre, até que seus olhos direcionaram-se a um grupo de pássaros que graciosamente cruzava o céu.A natureza lhe parecia tão exata. Tão minimamente planejada.
As flores, as árvores, os pássaros. era como se todos eles já tivessem nascido com uma especifica função, com o objetivo de cumprir o seu ciclo.
Não compreendia por que o mundo dos humanos era tão incerto, tão desafiador."

(Matheus que é Um maluco inventor)