segunda-feira, 4 de março de 2013

E em enquanto eu...

Estive fora. Fora de mim mesma, fora dos meus pensamentos, fora de órbita, fora da internet, fora de casa, fora de tudo. A natureza continuou dando os mesmo sinais. Os claros sinais de que a vida é algo tão simples que nós decididamente complicamos demais, por sentirmos medo, necessidade de superar as pessoas, revolta, qualquer coisa do tipo. A vida é tão simples que tentou me mostrar, na minha ânsia, no calor do meu momento que rindo ou chorando o gato continua dormindo, as rosas continuam brotando, a tartaruga fugida ainda pode retornar ao lar. E isso pra mim é o bastante pra suportar esse dia inteiro, suportar sem ter uma síncope de ansiedade e problemas complexos que não são verdadeiramente complexos, por mais que eu diga que são.

De quem é essa mão?
Breno depois de um banho de mangueira, batalhou tanto se lambendo tentando se secar que desistiu e dormiu ali mesmo

Gertrudes, depois de 2 dias de aventuras em terras desconhecidas foi encontrada e passa bem!