terça-feira, 2 de abril de 2013

Verdades absolutas - o retorno

É fato, pato, que a verdade absoluta não existe, e que esse papo furado que o futuro a Deus pertence não me pega mais. Digo isso porque sei que os homens possuem seu livre arbítrio, então a cada dia nós mesmos construímos o futuro, e quanto à esse sentido Deus só pode é olhar por nós e desejar que fiquemos bem, haja o que houver.
Mais uma verdade absoluta: a ignorância humana supera limites e barreiras que às vezes até assusto. Como pode uma criatura viver de igreja, mas não viver de Deus? Isso eu não entendo. Seria melhor lançar sua alma ao mundo, do que à falácia dos falsos moralistas e dos pregadores cristãos, que só sabem dos próprios interesses, de Deus só sabem que aquela coisa que ajuda a gente a ganhar dinheiro. Até isso botam  o Papai do céu no meio. Isso eu não suporto.
Deus não vai olhar pra sua cara, ver se você pagou seu dízimo e colocar um "okay, esse pode entrar", na listinha Dele. Deus vai olhar pro seu passado e saber se suas intensões foram boas, se você pensava no próximo, se você ajudou pessoas, se você fez, foi e desejou o bem. Deus não vai olhar a forma como você orava gritando, berrando e falando tudo em uma linguagem extremamente formal, Deus vai ver se quando você orava, você se emocionava, por agradecer de verdade, por pedir proteção à quem precisa, por ser humilde e honesto acima de qualquer coisa. E isso não sou eu quem inventou, é uma verdade absoluta e INCONTESTÁVEL!! Se você leva a sua vida como quem busca o amor e a bondade, você é uma criatura do bem, parabéns. Mas se sua vida foi dedicada ao crescimento próprio, financeiro, egoísmo e ganancia, falsidades, falta de caráter... aí não sei o que acontece com você.
Eu posso todos os dias perdoar e pedir a Deus que ilumine a cabeça daqueles que me odeiam, pedir para que o perdão chegue a eles também, mas não posso obrigar ninguém a gostar de mim, é fato, pato. É o que mais quero... a paz e a sensação de que não tenho pendências na Terra, e que quando minha hora chegar, eu estarei tranquila, pois minha missão foi cumprida com êxito, pelo menos eu tentei ao máximo aprender com meus próprios erros, a amar as pessoas (como se não houvesse o amanhã), a conhecer o problema e a vida de cada um (pra que entendamos que jamais alguém deve ser julgado, pois somos iguais), a ensinar cada lição que eu aprendo, e a evoluir com tudo o que acontece.
Queria muito que esse esclarecimento atingisse a todo o mundo, quem dera esse blog fosse tal qual Facebook que prolifera e massifica toda a sorte de informação e conteúdo, mas nem sequer leitores eu possuo mais.