sexta-feira, 17 de maio de 2013

Essa mulher nunca erra a mão!!

Copiado e colado da página no Face da Elisa, que agradeceu hoje de manhã pelo sucesso que esse Poemeto está fazendo... como disse ela própria: "Tem gente pedindo pra ser musicado, tem gente querendo filmar. Isso prova como é importante o papel da poesia no mundo, o papel do homem que fala e dá voz a outros seres humanos.".
Então linda Elisa, dê-nos voz nessa semana de importância única para a igualdade dos Direitos Humanos e diversidade sexual!

"Aí está, meus amores, o poema que fiz ontem e li no palco do Rio Sem Preconceito no Circo Voador. Procuro quem tenha feito um vídeo. A coisa foi tão louca, não estava na programação oficial, foi um improviso, uma bola que Toni Garrido botou na minha mão. Tudo tinha que ser tão preciso que o meu papel chegou a tremer. Mas valeu a pena. Foi pra nós, para os nossos direitos naturais e conquistados, para um Rio e um país e até um mundo sem preconceito que fiz o poema. Acho que ontem ele estava no lugar certo na hora certa. O poema agradece por tantos aplausos no meio dos versos. Beijos. Lá vai.

Poemeto de amor ao próximo

Me deixa em paz.
Deixe o meu, o dele, o dos outros em paz!
Qualé rapaz, o que é que você tem com isso?
Por que lhe incomoda o tamanho da minha saia?
Se eu sou índia, se sou negra ou branca,
se eu como com a mão ou com a colher,
se cadeirante, nordestino, dissonante,
se eu gosto de homem ou de mulher,
se eu não sou como você quer?
Não sei por que lhe aborrece
a liberdade amorosa dos seres ao seu redor.
Não sei por que lhe ofende mais
uma pessoa amada do que uma pessoa armada!?
Por que lhe insulta mais
quem de verdade ama do que quem lhe engana?
Dizem que vemos o que somos, por isso é bom que se investigue:
o que é que há por trás do seu espanto,
do seu escândalo, do seu incômodo
em ver o romance ardente como o de todo mundo,
nada demais, só que entre seres iguais?
Cada um sabe o que faz
com seus membros,
proeminências,
seus orifícios,
seus desejos,
seus interstícios.
Cada um sabe o que faz,
me deixe em paz.
Plante a paz.
Esta guerra que não se denomina
mas que mata tantos humanos, estes inteligentes animais,
é um verdadeiro terror urbano e ninguém aguenta mais.
“Conhece-te a ti mesmo”
este continua sendo o segredo que não nos trai.
Então, ouça o meu conselho
deixe que o sexo alheio seja assunto de cada eu,
e, pelo amor de deus,
vá cuidar do seu.

Elisa Lucinda, quinze de maioutono lindo"


(Extraído sem pôr e nem tirar nada da página do Face da Elisa Lucinda, o link está na primeira linha do texto, sou fã dessa mulher!!)