domingo, 2 de junho de 2013

Seguindo a receita

Não poderia passar em branco esses acontecimentos, pois me deixaram muito inspirada. Não o fato de eu estar comendo como uma louca desvairada, mas sim o fato do contato que tenho tido com as coisas mais simples. É muito prazeroso você acordar de manhãzinha e fazer um belo café e sem compromisso nenhum fazer um bolo. Só cozinhar. Tenho gostado tanto de aprender (aos poucos) a fazer algumas coisas, testando sabores e variedades, cheiros, temperos... Ultimamente tenho buscado por esses prazeres desconhecidos e cozinhar se tornou um deles. Aprendi a fazer coxinha com a minha mãe hoje, a receita que ela fazia quando era criança junto do meu avô pra vender no bar. Eu me lembro de tê-la visto fazendo algumas vezes em minha infância, mas ontem quando fomos à casa da Dona Amelice (que era nossa vizinha em outros tempos), as lembranças apareceram muito mais fortes e essa sensação nostálgica e positiva me deixou muito bem. 


Massa feita com batata, recheio de frango com azeitonas e ervilhas naturais. Sim, estavam fabulosas.