domingo, 18 de janeiro de 2015

Preto e branco e texto

Quantas vezes na vida eu escrevi bobagens e 
de certa forma, esperava lê-las eu mesma com olhos 
diferentes dos da primeira vez escritas e lidas 
as palavras, encantadas.

Lidas 
as frases, ligadas ou separadas
forçadas a se entrelaçarem ou se dividirem
se submetem a interpretações
caspisciosas ou não. 

De vez em sempre 
verídicas ou mentirosas, 
falsas ou fantasiosas, não sei quando é
sonho e quando é
realidade. 

Versos e fazeres,
tantos quantos desses prazeres 
da língua, 
do corpo e da
gente.